Sabedorias de para-choque, estereótipos de gênero

por Alice Bianchini*

Você já parou para pensar se todas aquelas características associadas à imagem da mulher são, de fato, realidade? Doçura, mais paciência, capacidade elevada de se dedicar aos outros e a projetos sociais são tidos como predicados predominantemente femininos.

Vinculam-se à mulher, também, adjetivos depreciativos, como os contidos em máximas de para-choque de caminhões: inconsequente: O espelho reflete sem falar e a mulher fala sem refletir; perdulária: Mulher deixa o rico sem dinheiro e o pobre sem vergonha; desonesta: A única mulher que andou na linha o trem pegou); ambiciosa: Não há urubu sem carniça nem mulher sem cobiça; imprestável: Se mulher fosse coisa boa, Deus teria uma!; interesseira: Amor de mulher é R E A L; exploradora: Atrás de todo homem bem-sucedido há uma mulher. E atrás do mal há duas; problemática: Cachaça e mulher: no começo é bom, depois só dá dor de cabeça!

Se você conseguiu associar tudo isso às mulheres, também deve ter percebido que a primeira ordem de atributos é inconciliável com a segunda. Como podem ambas, então, subsistir em um mesmo tempo e lugar social?

Ainda deve ser observado, em relação às características elogiosas (primeira ordem de atributos): muitas dessas características são usadas como argumento para emoldurar a mulher em uma condição que não lhe favorece. Exemplo? Quando se discutiu, pela primeira vez, em nível constitucional, o sufrágio feminino, congressistas se referiram às mulheres como “parte serena e angélica do gênero humano”, mas para negar-lhes tal direito, afirmando que as estavam protegendo do “turbilhão das paixões políticas”. (DEP. PEDRO AMÉRICO, Câmara dos Deputados, sessão de 27 de janeiro de 1891)

Voltando aos predicados, dentre os elencados abaixo, quais você classificaria como masculinos e quais como femininos?
ATIVO x PASSIVO
RACIONAL x EMOCIONAL
PROVEDOR x ASSISTIDO
FORTE x VULNERÁVEL

Caso tenha assinalado os listados à esquerda como masculinos e os à direita como femininos, não estará sem companhia. Grande parte das pessoas (incluindo as mulheres) pensa da mesma forma.

Os dados estatísticos, porém, desautorizam tais associações. Vamos aos números:
– Quem gasta mais no cartão de crédito? Homens, 26% a mais do que o sexo oposto (Instituto Ibope Inteligência, 2008)
– Quem é mais fofoqueiro? Homens falam 76 min por dia; mulheres, 52 min (Instituto OnePoll, 2009)
– Quem fala mais de sexo? Entre as mulheres, é o 5º assunto mais comentado; entre os homens, ele fica em 8º lugar (Instituto OnePoll, 2009)
– Quem mente mais? Homens (Instituto Gfk, 2009)

Ainda que essas frases postas a passear em para-choque de caminhões nos divirtam e pareçam inofensivas (e algumas delas de fato o são), é importante lembrar o malefício causado pelos estereótipos de gênero, sejam abonadores, sejam depreciativos, os quais são assimilados, inclusive pelas mulheres, passando, elas mesmas, a se desvalorizar. Conclusão: estereótipos levam à criação, manutenção e exacerbação de preconceitos e de discriminações, gerando e justificando violência.

** Alice Bianchini – Doutora em Direito Penal pela PUC/SP. Presidente do IPAN – Instituto Panamericano de Política Criminal. Coordenadora do Curso de Especialização TeleVirtual em Ciências Penais da Universidade Anhanguera-Uniderp, em convênio com a Rede LFG. Twitter: htpp://twitter.com/professoraAlice

Fonte: http://www.blogdolfg.com.br/colunistas-convidados/sabedorias-de-para-choque-estereotipos-de-genero/

2 Comentários

Arquivado em Uncategorized

2 Respostas para “Sabedorias de para-choque, estereótipos de gênero

  1. Luciana

    O problema também é que as próprias mulheres aceitam esses estereotipos numa boa e ainda fazem piadas de si mesmas. A maioria não vai contra, não argumenta, eu vivo num ambiente 100% machista, e fico indignada como até hoje depois de provar tanto que podem ser muito melhores que os homens, as mulheres ainda levam esses títulos. Já provamos que podemos ser melhores no trabalho, podemos chefiar grandes equipes, podemos ganhar mais, podemos ser independentes, podemos ser profissionais, mães e donas de casa, podemos criar filhos sozinhas, podemos comandar os homens que quisermos, podemos ser ótimas no volante, ou numa moto, enfim, podemos superar os homens em tudo, e ainda tem gente que “finge” que não percebeu isso. Está passando da hora das mulheres acordarem e dar um basta nisso! Não aceitem estereótipos, não fiquem quietas!

    • Luciana obrigada pelo teu ponto de vista
      Infelizmente vivemos nessa sociedade capitalistas e patriarcal, calcada numa cultura machista que tanto nós mulheres e homens estamos inseridos. POr conta disse entende-se que muitas mulheres, imersas nessa cultura, que constrói nosso senso comum, aceita tais esteriótipos, tem posicionamentos machistas, etc e tal.
      Por conta disso nós do movimento feminista buscamos contrapor a essa cultura machista, que mantém o sistema capitalista neo-liberal, e submete as mulheres as diversas formas de violência, discriminação, submete as mulheres a mercantilização dos seus corpos e vidas.
      Estamos juntas nessa luta
      Abração feminista

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s