Depoimento de Lua, vítima de violência contra mulher

Nome: Lua
Situação:Porto Alegre, RS – funcionária pública – 51 anos – curso superior incompleto -casada- 1 filha

O agressor foi um ex namorado de 3 anos. Nunca dependi dele emocionalmente. Morávamos cada um em sua casa.

Relato da violência (principalmente a última, a que originou a denúncia).
Após eu ter terminado o namoro passou a me constranger publicamente, seguir e me perseguir em todos os locais onde eu estava. Ele chava que eu não teria coragem de denunciá-lo e que teria medo dele. Num só dia me mandou mais de 30 torpedos e fez mais de 50 ligações pra meu celular. Foi quando fiz a primeira denuncia. Todas as mensagems eram de xingamentos – puta, vagabunda, fracassada, e por aí eram todos. Acabei trocando de celular por causa disto.
Aí ele começou a ligar pra minha casa, insistentemente. Meu telefone passava o tempo todo fora do gancho. Até que uma noite foi até minha casa e tentou entrar. Não abri a porta e chamei a polícia. Ele acabou indo embora, mas publicou meu telefone num site pornô e vários tarados ficaram ligando pra minha casa, e na época minha filha tinha 12 anos.
Troquei também o telefone de casa e fiz nova denuncia 15 dias depois quando ele contraatacou também pela internet me ameaçando.

Situação do processo: Registro oficial? Teve processo? Qual resultado?
Na época não tinha Maria da Penha, mas consegui denunciá-lo na delegacia da mulher e na cidade de Viamão onde ele trabalhava na época na Prefeitura. Ele acabou sendo demitido e eu o denunciei por calúnia e difamação, perturbação do sossego e ameaças de violência.
Houve uma audiência (constrangedora) onde ele foi condenado a ficar longe de mim e não se aproximar.
Mas não satisfeito com tudo isto, ele se matriculou na mesma faculdade que eu, na mesma turma. Quando eu soube, desisti da minha faculdade.

Opinião da vítima sobre o atendimento recebido (posto de saúde – delegacia -promotoria/defensoria pública – ong – etc.)
Tive o melhor atendimento das amigas que faziam uma rede de solidariedade e me avisavam quando ele aparecia. A delegacia me fazia sentir que eu era uma idiota, pois sempre me perguntavam: “mas ele te bateu?”, “te ameaçou de morte?”. O Juíz disse que ele se afastasse “20m” – foi ridículo.
Meu desejo nunca foi de vingança, mas que ele parasse.

Isto fez com que eu passasse a desconfiar de todos os caras que apareciam. Só voltei a ter um relacionamento estável 2 anos depois. E hoje vivo uma vida plena de respeito mútuo, valorização e amor, pois encontrei uma pessoa que jamais faria qualquer violência contra mim.

4 Comentários

Arquivado em Uncategorized

4 Respostas para “Depoimento de Lua, vítima de violência contra mulher

  1. Angélica

    Já presenciei diversas agressões físicas,psicológicas e verbais entre meus pais,meu pai é muito bruto,minha infância foi de sofrimento,cresci apanhando por qualquer motivo,isso mecheu com meus sentimentos e minha confiança.
    Ele batia em minha mãe se ela estivesse lavando roupa com ele em casa,e se quizesse uma roupa para vestir e não encontrasse ela apanhava também,se pedisse dinheiro para comprar qualquer coisa também apanhava.
    Lembro-me muito bem de que um dia ele chegou em casa,e eu e meu irmão estávamos na calçada,ele nos bateu só porque estávamos sentados no chão,mas nós éramos crianças,hoje tenho 17 anos,meu irmão 18,meu pai 39 e minha mãe 43,fazem 20 anos que meus pais moram juntos,20 anos de sofrimento.
    Sempre que ele vê que minha mãe está calada demais ele diz:” Se pensa em ir embora,poder ir,mas onde eu lhe ver,eu a mato”.
    Quando eu era pequena,minha mãe ia trabalhar em casa de família,e ele as vezes quando estava folgando,ficava em casa comigo e meu irmão.
    Lembro-me que ele retirava minha roupa,me batia,e ficava esfregando o pênis dele em minha vagina,eu tianha aproximadamente 4 anos de idade,e as vezes mandava meu irmão masturbá-lo até ele ejacular,lembro-me de tudo,mas o medo é maior que a raiva. Hoje ele me trata como se eu fosse uma esposa dele,ele não me quer namorando,nem saindo com amigas,ele diz que é pro meu bem,mas são ciúmes mesmo.
    Eu queria ter uma pai,e não uma fachada como esse homem que se diz ser meu pai.
    Fui noiva com 14 anos,eu estava louca p sair de casa,mas acabou não dando certo,e hoje estou aqui,aquentando a mesma humilhação de sempre,não posso sair,namorar,ir á festas nem nada,é da escola para casa,e ainda é muito para ele,e nos finais de semana,é casa,casa e casa..
    Agradeço-lhes a atenção! Boa tarde.

  2. luiza

    minha querida, denuncie esse monstro pra policia …vcs não podem ficar a vida inteira nesse sofrimento …vcs não merecem isso , se ele te ameaçar de morte , ameace ele tb …não adianta ficar parada que assim a situação nunca mudará ..reaja pelo amor de Deus …vc não foi criada para viver nesse sofrimento …saia correndo dessa casa …trabalhe e tire sua mãe das garras desse homem ..e ai sim quando estiverem longe dele ..ore e pessa para Deus q mude o coração dele !

    estou intercedendo por vc …queria muito poder ajuda-la !

  3. Dani

    Estou passando por um desses TORMENTOS E PARECEM QUE
    NÃO TEM FIM ,VOU LUTAR ATÉ O FIM.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s